2018-03-18

Diz-me de que mundo pendes
dir-te-ei
a que universo pertences.
Nada do que me soçobre
poderá almejar mais que o orbitado
eu, aqui em pé
orando
e Deus, ali, acordado
porque não tenho mais ocasos para florir
nem tu mais desejos
por sorrir,
olha-me fundo no desespero
algures um braseiro
aceso
é tudo o que me ilumina
toda a rosácea multicolor
talvez borratada
(o que nos faz o calor?)
vai do fundo do destino
ao início da sina.

Sem comentários: