Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2009
Houvesse na vida uma réstea de mim, uma silva que me prendesse ao caminho que a paisagem pariu. Quando teceu o retalho da mente que me cobre, ninguém viu, que há apenas de mim peito arfante e cheio de vida , tão longe do fim.
Saúdo a saudade que se ausenta quando se reencontram olhares nas mãos da animosidade ternurenta. Do teu silêncio recordo apenas a ausência do teu choro inacabado, cercando-te a matilha e o tempo atiçado, há lá sítio para fugir! Além das palavras e das cicatrizes soçobram esteios outrora firmes e na paisagem abandonada uns quantos oscilantes solúveis vimes...
sim, ainda estou aqui... não faças barulho, podem acordar...