2017-07-29

As virtudes dos sentidos
na ascensão
embrutecida do sol encimado
pede ausência de luz,
aqui já nada seduz.
As azinheiras adormecem à sombra das pessoas
cinzentas,
amortalhadas pelo vazio esbatido,
um pouco de nada
nas vestes encardido.
Ribomba a noite em girândolas gulosas,
o meu peito infla e entumecem-me os olhos,
as estrelas tremeluzem
talvez saudosas (minto-me)
dos meus sonhos.

Sem comentários: