2014-06-10

Respaldar

Calmamente, contando as cristas das ondas e imaginando-as as nuvens do mar, acordo histórias de oceanos que separam ilhas desabitadas. Todo o penhasco aspira ser praia, sem saber que a sua beleza reside na vertigem da paisagem, no sustido susto e medo da queda ou do imaginar, imemorial, de alçar um par de asas presas e saltar sem medo ou coragem, apenas na ânsia de ser, um dia, viagem.

Sem comentários: