2014-03-17

(Vo)ar

Caber na vida, sem pertencer ao corpo.
Vestir o catálogo da indiferença e deixar descansar em qualquer prado ou socalco um pedaço de mim.
Querer laminar a vida em dias com sabores diferentes...ver saborear os mesmos aromas de quem tem palato poluído pelo que expulsa em forma de palavra.
A vida sabe-me a voo de milhafre.
Vou aprender a voar.

Sem comentários: