2014-03-12

Through the bars of a rime

Voltarei, sempre, à semibreve nota que não esqueço por muito que este aglomerado de frequências errantes teime em me dessintonizar ou desacordar ortograficamente. Repercuto infrequentemente porque sei, lá no íntimo entre as linhas da minha pauta, que este caos sonoro levará algures a uma ordem causal, como o tempo, que nos faça ver, perdão, ouvir, que somos todos notas da mesma sinfonia. Sintonia de quem se escuta escutando, sem necessidade de escutar as sinfonias dos outros.
Faça-se Luz e, depois, luzidie-se a Música, mesmo a inaudível (eis o meu silêncio).

Sem comentários: