2010-10-27

Santíssima Trindade

Adormeço com o pequeno bloco a meu lado. Rio-me, agora, desconcertado e desiludido com o abandono que dou às palavras. O tanto em mim que se quer ajuntar de mansinho em letras, sucumbe ao eu que decalca as vidas que observa caírem da vida, todos os dias, todas as horas. É como a dor, o abraço e o segredo. É como tudo aquilo que é por fora e não se sente, por dentro.

Sem comentários: