2016-11-10

Quando a sombra se dissipa
na sombra do que visto
já não é visto
o calado rubor do que não sei dizer.
As paredes caiam-se de silêncio
a estrada arfa sob o estio
e a palavra
semeada
soluça-me:
tenho frio.

Sem comentários: