2015-07-20

Não tarda a que os olhos se virem além do que olham, percorram caminhos, encantos, sem se deterem pelo que a vida nos mastiga. Um passo a cada passo dado, ainda que no silêncio, ainda que no enigma das pedras, ainda que. Com qual das avenidas se parte em viagem, num trajecto aquoso, sem margem, com qual das partidas?

Deus, 
ainda que de mim possa ter sonhos teus,
por onde estendes os trilhos
entendes
não eu
que se me morrem os passos
os abraços
e no descaso de uma inclinada moutada
eu que de tudo tenho nada
chamo baixo o calabouço,
vês no erguido erigido onde procuro
o que creio não querer,
tocar a noite sem te ver
sem cardos e pecados de revés,
Deus,
é porque te procuro e não encontro
que sei que és.

Sem comentários: