2014-03-20

(Mad)eira

A placidez do silêncio.
A candura do céu estrelado.
O frio que se amena ao cair na pele.
O vulto encrustado nos anéis da madeira, eu, que sou ele.

Sem comentários: