2013-04-26

A minha casa sou eu.
Habito-me enquanto por cá revivo, antes de, por fim, deixar sentado este corpo e ir, novamente, para onde o tempo nunca viveu.

Sem comentários: