2011-05-15

Vai-se o vento pelas portas entreabertas, entre, estão abertas, as portas, por onde se vai o vento... Que daqui ao infinito, reza a distância de um terço de eternidade, tudo porque não sabemos, ainda, que o nosso futuro está do lado de lá da idade.
Sonharei até que o vento se explique e me diga, porque voa, a razão de se ter expirado ao largo da minha mocidade.

Sem comentários: