2011-01-14

De repente, já nem os olhos sentem... O corpo, que se quer ligeiro, vai acumulando vidas num só dia. Ao longe, pelo espelho, as montanhas, os nevoeiros matinais que trazem um sabor húmido, desperto apenas pelo Sol do meio-dia, o som dos regatos que nascem como flores sob as rochas.
These mist covered mountains, are a home now for me...

Sem comentários: