2010-04-20

Pendo

Tenho a memória completa

das viagens que não escrevi,
um vagão sonhador
sulcando
o vento que não vivi.
Pendo no sobressalto meus braços
para que agarrados ao vago
possam suster as nuvens
que ainda afago.
Sou da noite
porque não anoiteço
inclino-me à força da esquina
no pó em que me tornei
na pauta que me solfeja
no olhar que vertigina
o sabor do beijo
que te sonhei.

Sem comentários: