2005-08-24

É sim senhora

As pessoas comovem-me, a sinceridade e a bondade ingénua, pura, intocável... Este tipo de bondade que, por vezes, se vê apenas nos "coitadinhos" e "bons rapazinhos"...
Vi a cena há uns dias, talvez semanas, quando um senhor, humilde, tão humilde, era entrevistado por uma jornalista... A casa tinha ardido e, como tal, todo o seu recheio, o senhor, vou chamá-lo "coitadinho", que é assim que é visto, coitadinho, se calhar nunca viu a Quinta das Celebridades, deve ser de outro planeta (já estou a fugir do tema...), regressando, o senhor olhava para a jornalista, com um sorriso na face e um olhar estremecedor de tanta ingenuidade...
- Então o senhor, ardeu-lhe a casa?
- É sim senhora... (respondia com um sorriso e muito educadamente)
A câmara mostrava, ao fundo, desfocando a cara do senhor, a casa ainda fumegante...
A jornalista esperava que o senhor falasse mais, mas teve que tomar a iniciativa novamente...
- E o senhor, salvou alguma coisa?
- Só a roupa do corpo minha senhora (o mesmo sorriso, o mesmo olhar)
Mais um compasso de espera...
- E agora o que vai fazer? Sabe onde vai ficar?
- Vou para a rua minha senhora... (ainda o mesmo sorriso)
O diálogo pode ter alterado, a memória pode atraiçoar-me, mas o essencial foi isto.
O homem perdeu tudo, ou se calhar tem noção daquilo que não perdeu.
O cenário era de destruição, de desolação, mas ele tinha o sorriso.

Sem comentários: